Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Duquesa e o Gato ♠

"I'm worse at what I do best." ☆

Percebes que chegou o Outono quando...

... começa a chover e ficas com o vidro do carro a meio sem o conseguires fechar! 

... já tinhas voltado a arrumar a roupa mais quente e tens de a ir buscar novamente, descobrindo que uma bela traça estragou a tua camisola preferida!

...começas a pensar em maneiras de se levar a lenha, subindo 4 andares, sem chegares lá em cima sem pulmões.

...preparas a tua bela bomba da asma e percebes que está fora de validade desde Março.

...aumentas o stock de lenços. 

...percebes que ainda não te preocupaste com a vacina da gripe e que agora só arranjas consulta para o ano que vem. 

A "nossa" convidada especial - a ratazana...

Há uns 3 anos atrás tivemos uma visita inesperada em casa... Uma ratazana! (Mesmo assim, confesso que a receberia melhor do que a algumas pessoas - se pudesse!)

Nesse dia fomos jantar a casa do nosso melhor amigo e por isso chegamos já tarde a casa. Ele vai ao sótão e eu sento-me no sofá e ligo a televisão. Quando olho para os cortinados vejo umas "luzes" vermelhas a olhar para a minha pessoa. 

-"Mor, está aqui um bicho..."

Ele ri-se e pensa que estou a gozar com ele, pelo que comenta algo mas nem liga à situação!

-"Estou a falar a sério. Está aqui um rato!" - insisto eu (por acaso sem levantar a porra do cu do sofá!)

-"Não sejas parva. Estamos num terceiro andar. Chegava cá como? De elevador?" 

-"Ai é? Então anda cá ver!!!"

Ele mexe no cortinado e sai uma coisa enorme, gigante, feeeeeia de trás e corre para debaixo do sofá! Normalmente nem tenho medo de ratos, mas não sei ainda o porquê, levantei-me e saltei para cima do mesmo aos berros que nem uma miúda. 

Depois de umas horas de "luta" lá se conseguiu prender a bicha na marquise. 

Pior foi depois!

E se houvesse mais alguma? E por onde andou ela? Por onde veio? Toca a tirar todos os lençóis da cama, todas as toalhas, tudo o que era roupa e colocar na máquina de lavar, deitar  fora tudo o que era estava acessível de comida e bebida, fechar todas as divisões e colocar "armadinhas" de comida para sabermos se existia mais algum ser desses lá  hospedado. No dia seguinte, toca a desinfectar a casa TOOOODA!

Demorei dois dias inteiros até conseguir limpar e lavar tudo. Gastei vários garrafões de lixivia, amoniacal e todas as coisas que me pudessem dar a sensação de que a casa estaria desinfectada. Passei algumas noites acordada ao ponto de verificar cada barulhinho que a casa fazia... 

 

(descobrimos depois que acontecia o mesmo com os vizinhos, regularmente! As ratazanas provinham de uma casa abandonada perto do prédio. Assunto resolvido uns meses depois.)

 

13578882_1341487585879151_1048972612_n.jpg13608070_1341487639212479_911883302_n.jpg

(A ratazana não era tão amorosa...)

 

 

"Dramas" no Centro de Saúde...

Sou "cliente" assidua do Centro de saúde... aaaafff. 

Ontem, fui a este lugar animado. Passado uma hora, chega uma senhora que se senta ao meu lado. Diz ela: "Ai que isto hoje está tão cheio. Nunca vi isto assim!" (A sério?! Eu despachei-me em uma hora e meia. Nunca, tinha saído dali tão depressa! Estavam metade das pessoas que costumam estar...) Uns minutos depois, sai uma senhora do consultório, sua conhecida. Falam. Desabafam. A senhora sai e a que estava ao meu lado diz em voz alta (ainda a senhora não tinha saído do centro de saúde): "Ai que ela está tão velha, meu Deus! Coitada. Está mesmo em baixo. Desde que o filho morreu nunca mais foi a mesma!". Eu deslizei pela cadeira e meti a mão à frente da cara, na esperança de não estar por ali ninguém que eu conhecesse e que a pobre senhora não me associasse à outra que fez questão de a relembrar, em voz bem alta, que estava velha e que tinha perdido o filho. 

Como eu não estava satisfeita... Uma das mães de uma grande amiga minha chegou. Cumprimentei a senhora (que conheço desde sempre!), conversámos e no fim tive a lata de dizer à senhora "cumprimentos lá em casa". Na realidade, queria dizer "à família". Sabem porque me saiu mal? É que o marido dela faleceu à pouco tempo e ela vive sozinha. Porra, Vânia. Estúpida! E tu a criticares mentalmente a outra senhora?! Que lata! Hipócrita...

Flirts? Nah!

Quem esteve atento à rubrica da Chic'Ana - One Smile a Day (se não viram podem ainda ver aqui), sabem que a arte de "engatar" não está, de todo, bem relacionada comigo... 

Esta história que se segue é uma das minhas raríssimas (mas existentes!) tentativas de "flirt".

 

No fim de 2008 a minha relação terminou pouco tempo depois da minha avó falecer. Confesso que a minha capacidade de raciocino não estava nas melhores condições por isso julgo que tenho desculpa para o que vem aí!

Como precisava de espairecer e esquecer um pouco tudo o que se passou, fui trabalhar para outra zona onde sabia que não veria o meu ex e onde não me traria recordações da minha avó. A adaptação foi rápida e muito boa e conheci muita gente, o que facilitou todo o processo! Até aqui tudo bem. 

O tempo foi passando e eu achava que não precisava de homens para nada. Continuava magoada, claro. As minhas amigas incentivavam-me a sair da minha zona de conforto mas não me sentia preparada. Até que um dia, decidi entrar numa loja de desporto só para fazer tempo... Como o rapaz era giro que se fartava e até era extremamente simpático (e parecia que ouvia as minhas amigas ao ouvido!) entrei na "onda".

Ora era sorrisinhos para aqui ora era mexer no cabelo para acolá! O certo é que passamos um grande bocado na conversa (provavelmente hora e meia) e ele tinha-me pedido o número de telemóvel para um café ou almoço. Pensei eu que o "flirt" me estava a correr extremamente bem. Até entrar um rapaz na loja e o empregado me dizer : "Viste como ele estava a olhar para ti? Era giríssimo! Olha, ele é que não é da minha liga...".

WTF?! 

(Hoje somos amigos... )

É... A minha capacidade de engate é uma coisa maravilhosa e como tal tornou-se inexistente! Para o meu bem...