Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Duquesa e o Gato ♠

"I'm worse at what I do best." ☆

31
Ago16

A minha primeira vez...

... a polir um carro!

(Pensavam que seria a quê? Obviamente que foi a polir o meu carro!!! Sim, que eu não preciso cá de homens para tratarem do meu Clio.  )

Bem, vou por partes...

Troquei de carro há um mês e vinha com a pintura um pouco baça. Solução? Polir e encerar. (Eu sou tão esperta que, tendo um tio pintor, aceitei que podíamos fazer nós mesmos!)

Ontem, o Marco trouxe a máquina de polir e a massa. Enquanto o meu rico namorado se lembrou de mudar umas coisas no carro da mãe, eu ia polindo o carro. Até aqui tudo bem. Ele esqueceu-se foi de que, aqui a Je, NUNCA tinha polido carro nenhum! Ora, limpei o carro, coloquei a massa e toca a passar com a maquineta por cima. Conforme umas dicas do tio, borrifei depois com água e, depois de um tempo, comecei a passar com um pano de flanela - que por acaso era clarinho. Olho para o pano e vejo azul! Muuuiiiito azul!!! Ela dá saltos, ela fica com os olhos marejados, ela entra em pânico, ela hiperventila... O Marco olhou para mim e perguntou o que se estava a passar. Ao que eu respondo:

-"Estou a estragar o carro! Estou a tirar a tinta!!! o pano está todo azul!! o que é que eu faço agora?? "

-"Sim, é isso que se faz ao polir. Pensavas que era o quê?"  

E eu, fiquei a olhar sem saber se ria ou se chorava.

O certo é que o carro agora está brilhante e todo bonitinho. E fui tudo eu!  

Também é certo que hoje parece que sofro de parkinson...  

       

                                                                (gif retirado daqui)

                                          (gif retirado daqui)

30
Ago16

Há clientes e clientes...

Devo dizer que, em parte, suportam-se melhor os clientes estrangeiros do que os emigrantes. (Não estou a generalizar nem a implicar. Apenas acontece mesmo. E digo isto mesmo tendo grande parte da minha família emigrada. Volto a repetir que nada tenho contra emigrantes! )

Passo a exemplificar uma das situações de Domingo:

Restaurante perto do rio, 36Cº, 50 pessoas ainda para atender. Entre essas 50 pessoas há um pouco de tudo mas, no momento, encontrava-me a servir duas mesas. Uma das mesas era de emigrantes e outra de um casal francês.

Diferenças?

-O casal francês tentava descobrir como se diziam as coisas em português - mesmo que isso significasse dizer "durráaaadá" (dourada) e eu até "arranhasse" um pouco de francês.Os emigrantes simplesmente nem falavam português.

-O casal francês chamava-me somente para fazer o pedido. Os emigrantes chamaram-me porque queriam saber como era o peixe, de que tamanho, se cheirava "bem", qual a diferença entre eles, se a carne era bem ou mal passada, se era do lombo, se a vaca pastava em prados verdejantes, porque queriam uma coca-cola, porque afinal queriam um sumol, mas finalmente preferiam antes uma água. Basicamente eu ia buscar algo, chegava perto deles e pediam outra coisa... o cúmulo foi quando, depois de abrir uma garrafa de vinho tinto disseram que afinal queriam branco. 

- O casal francês pediu a sobremesa e café. Os emigrantes pediram sobremesas e fizeram o mesmo que com as bebidas, ou seja, era trazer e voltar para alterar o pedido. Pediram cafés: um curto, um cheio, um pingado, um em chávena fria, um com cheirinho, etc...

-No fim o casal francês deixou uma gorjeta de quase 5€. Os emigrantes deixaram papeis de gelados espalhados pelo chão, guardanapos enfiados nos copos, talheres espalhados na mesa.

 

                                             (imagem retirada daqui)

 Atenção, nada contra emigrantes. ALiás, até admiro quem consiga lutar pela vida mesmo sendo longe. 

26
Ago16

Deixem-me aproveitar o Destaque do Sapo para fazer publicidade...

... ao "meu" Castelo!

Digam lá que não é maravilhoso?!

É tão mágico que até a Rita Pereira gostou:

https://hyndia.tv/domingo-em-grande-com-o-pai/

                                                                 (facebook Rita Pereira)

 

O Castelo de Almourol fica situado em Praia do Ribatejo, no concelho de Vila Nova da Barquinha.

 

O custo do barco de acesso ao Castelo e da visita é, no total, de 2,50€. Acreditem que compensa o belo do passeio de barco e da vista maravilhosa que se tem do Castelo para a Praia do Ribatejo, Tancos e Arrepiado. 

 Visitem que não se arrependem!

26
Ago16

Quase nos 30 e ainda não sei quem sou.

Quando era pequena queria ser estilista... hoje em dia não sei distinguir tecidos nem cores! Passei por uma fase em que queria também tornar-me professora de música mas fiquei-me por tocar e cantar no coro da igreja até aos meus 16 anos.Quis igualmente ser veterinária, mas o meu medo de répteis e pouca tolerância a sangue roubaram-me esse desejo.

Já maiorzinha quis ser psicóloga mas a doença tirou-me essas ideias da cabeça. 

Sempre sonhei ser mãe antes dos 25 anos, já tenho quase 30. Queria ficar com o meu primeiro amor para o resto da minha vida, tive um desgosto daqueles feios e cá estou eu sem ser com o primeiro. Queria casar e ter filhos e vejo-me com quase 30 e sem nada disso. Queria ter uma carreira consolidada e estou desempregada. 

 

E o que alcancei? Até agora, várias otites e amigdalites, uma anoréxia, uma asma, uma hérnia no hiatos, uns desgostos de amor pelo caminho, alcancei o desemprego por várias vezes, fui enganada outras tantas e ficaram a dever-me dinheiro, entre outras coisas. Consegui alcançar algumas, portanto. Já não perdi tudo! 

 

Confesso que isto às vezes me faz ter dúvidas sobre quem sou e que raio pretendi eu da minha vida, quais os caminhos que segui e o que fiz de errado. Não consegui concretizar nada do que sonhei, nem nada do que pensei ser real o era. Também fui enganada tantas vezes que já lhes perdi a conta. Com quase 30 anos vejo-me sem sonhos e sem objectivos de vida. Parei no tempo e, por vezes, ainda me sinto uma miuda de 16 anos que não sabe para que lado se virar e " o que quer ser quando for grande".

Continuo aqui, sem saber que caminho seguir. Sem ter os meus sonhos comigo. Sem realizar nada do que sonhei... E é nestes dias que não sei ainda quem sou. 

25
Ago16

Otorrinos...

Há uma coisa que não percebo (aliás, há muitas!). Uma pessoa vai ao otorrino que manda ter muiiiitoooo cuidado com os ouvidos, não usar cotonetes nem nada que possa ferir o ouvido e logo nesse instante enfia-nos uma porcaria pontiaguda pelo ouvido e aleija-nos! E eu percebo-os?!

 
 
 
 
 
24
Ago16

A caixa prioritária de "antigamente"

(escrevi "antigamente" pois agora as coisas, supostamente, serão diferentes)

 

A maioria dos trabalhos têm o seu aspecto negativo. (menos o "trabalho" de ser rica, esse nunca descobri qual o aspecto negativo. Dizem que é trabalho e eu não discuto sobre essas coisas...)

Trabalhar num supermercado é o mesmo que dizer que encontramos os mais variados clientes e, consequentemente, as mais variadas personalidades. Pois bem, já trabalhei por três vezes em supermercados, duas delas como operadora de caixa. E deixem-me que vos diga, apanhamos clientes muito bons mas apanhamos alguns que nos dá vontade de mandar a um determinado local ... Eu mandava-os mentalmente pois a minha mãezinha sempre me ensinou que temos de ser educadas. 

Na "minha altura" (oh, que velha!), ir para a caixa prioritária era o mesmo que mandar alguém ao inferno e voltar. A maioria das operadoras de caixa acabavam os turnos a chorar (a sério!)... Desculpem que vos diga mas há grávidas que conseguem ser mesmo muito más e que depois se desculpam com as hormonas! Eu era das muitas que odiava ir para a caixa prioritária. Era uma caixa onde todos os dias existiam problemas. Era uma caixa em que o tempo demorava mais tempo a passar. 

Vocês sabem o que é ter grávidas a "lutar" entre si sobre quem está de mais tempo e poderá passar á frente? Juro, isto aconteceu-me. E não é bonito de se assistir. Bastava olhar para a cara das outras pessoas para ver que estavam todos incomodados e com medo. M-e-d-o! 

Um dos problemas na caixa prioritária é que a visibilidade nem sempre está a favor da operadora de caixa e há quem use isso contra a/o funcionária/o. Nós não podemos simplesmente adivinhar que, numa fila de 10 pessoas, existe uma grávida que está atrás do senhor que tem 2 metros de altura e é um pouco mais cheinho. Muito menos quando essa grávida tem uma barriga mais pequena do que a nossa! Sim, já me aconteceu. Tive uma senhora que colocava as mãos na barrinha a fazer festinhas e, como nunca vi barriga nenhuma e até imaginei que pudessem ser gazes, não a mandei passar. Já me tinha acontecido mandar passar uma senhora que tinha uma barriguinha de grávida (a sério, bonita até, redondinha) e, no entanto, não estava grávida! Não voltaria a arriscar...Quando chega à caixa falou-me muito chateada:

-"A senhora não viu que estou grávida?"

Desculpei-me a dizer que não tinha reparado. Sim, porque na realidade nunca vi barriga nenhuma. Aliás, a mulher era magrinha e sem barriga, pelo que seria impossível eu descobrir que estava grávida. Disse-me que não iria fazer queixa mas que era a última vez que ali lhe faziam isso... 

 

 

 

Minha gente, a malta não adivinha. A culpa não é das meninas da caixa!  Se virem que alguém está doente, é um idoso que está atrás de vocês ou que se encontra alguma grávida na fila, falem...A "menina da caixa" pode não conseguir ter visibilidade. 

23
Ago16

As maldades que me fazem!

Este post é só para vocês verem o que a Chic e a Ana (ambas Anas) me andaram a fazer durante uns tempos. A sério, esta gente é tão maldosa comigo que até chego a ter pena de mim própria!

Basicamente, no tablet, o nome de ambas só me aparecia "Ana" e sem fotografia (porque demorava a carregar), pelo que me queixei umas vezes que não sabia qual das duas estava a falar. Como é normal delas, gozaram com a situação e, na tentativa de gozarem mais um bocadinho a Ana lixou-se... (Vejam porquê aqui no blog da Chic) Bem feita! 

 

( Espero que as pessoas sejam tão más convosco como vocês foram comigo... Se for preciso eu tenho mais provas!)

 

chic (3).jpgchic1.jpg

 

chic2.jpg

23
Ago16

No Domingo poderia ter sido eu a filha da p%$# que partilham no facebook...

Sim, no Domingo poderia ter sido eu! Poderia ser eu a filha da p#$% (como lhes chamam) a quem toda a gente deseja a morte no facebook. Poderia ser eu a ser chamada de mil e uma coisas...Eu e os meus! 

Eram 10 da manhã, já depois de ter passado por inúmeros ciclistas enquanto ia para o trabalho, numa estrada em que só tenho de andar a direito sem cortar para lado nenhum. Não sou de andar rápido, desvio-me bastante dos ciclistas e dos "motards" nas ultrapassagens e confesso que tenho um medo desgraçado de ultrapassar gente em bicicletas e motas... Estava quase a chegar ao restaurante (faltava 1km), quando se atravessam 3 ciclistas à minha frente, vindos de outra estrada (tendo stop!). Só tive tempo de dar uma "guinada" no volante e desejar não perder o controlo do carro pois estava numa zona de acidentes e tinha tido o acidente de mota há exactamente 1 ano e 1 dia atrás... Confesso que não estava com grande vontade de ser enfiada num hospital nem estava com estômago para andar a ser ameaçada pelo facebook! 

Já uma vez falei aqui no blog desta moda de andar de bicicleta (aqui) e, mais do que nunca, essa opinião mantém-se. Volto a repetir : nem sempre o culpado é quem anda no veiculo motorizado! E, este domingo, poderia ter sido eu a atropelar algum ciclista (e a "esbardalhar-me toda também). E sabem o que aconteceria? A culpada seria sempre eu mesmo não tendo tido culpa alguma! Era eu quem seria humilhada, chamada de "assassina", chamada de "irresponsável", seria eu que "não saberia andar na estrada", "Que não tinha coração", seria eu "que deveria de ter sido albarroada", e coisas do género. E porquê? Porque os meninos tinham tanta pressa que não souberam parar no sinal nem respeitar a entrada em outra estrada... E a culpa? Era minha!

Pág. 1/2

Mais sobre a desgraçada.

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Carlos Palmito

    Guerreiros de teclado e rato, certos que nada os a...

  • Di

    E há tantas pessoas assim querida...

  • LadyVih

    Não consegui controlar-me porque, durante muitos a...

  • LadyVih

    Infelizmente Deus não me criou com um auto-control...

  • Marco

    Nem sei se ignorar, não era mesmo o melhor. Ainda ...

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D