Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Duquesa e o Gato ♠

"I'm worse at what I do best." ☆

A caixa prioritária de "antigamente"

(escrevi "antigamente" pois agora as coisas, supostamente, serão diferentes)

 

A maioria dos trabalhos têm o seu aspecto negativo. (menos o "trabalho" de ser rica, esse nunca descobri qual o aspecto negativo. Dizem que é trabalho e eu não discuto sobre essas coisas...)

Trabalhar num supermercado é o mesmo que dizer que encontramos os mais variados clientes e, consequentemente, as mais variadas personalidades. Pois bem, já trabalhei por três vezes em supermercados, duas delas como operadora de caixa. E deixem-me que vos diga, apanhamos clientes muito bons mas apanhamos alguns que nos dá vontade de mandar a um determinado local ... Eu mandava-os mentalmente pois a minha mãezinha sempre me ensinou que temos de ser educadas. 

Na "minha altura" (oh, que velha!), ir para a caixa prioritária era o mesmo que mandar alguém ao inferno e voltar. A maioria das operadoras de caixa acabavam os turnos a chorar (a sério!)... Desculpem que vos diga mas há grávidas que conseguem ser mesmo muito más e que depois se desculpam com as hormonas! Eu era das muitas que odiava ir para a caixa prioritária. Era uma caixa onde todos os dias existiam problemas. Era uma caixa em que o tempo demorava mais tempo a passar. 

Vocês sabem o que é ter grávidas a "lutar" entre si sobre quem está de mais tempo e poderá passar á frente? Juro, isto aconteceu-me. E não é bonito de se assistir. Bastava olhar para a cara das outras pessoas para ver que estavam todos incomodados e com medo. M-e-d-o! 

Um dos problemas na caixa prioritária é que a visibilidade nem sempre está a favor da operadora de caixa e há quem use isso contra a/o funcionária/o. Nós não podemos simplesmente adivinhar que, numa fila de 10 pessoas, existe uma grávida que está atrás do senhor que tem 2 metros de altura e é um pouco mais cheinho. Muito menos quando essa grávida tem uma barriga mais pequena do que a nossa! Sim, já me aconteceu. Tive uma senhora que colocava as mãos na barrinha a fazer festinhas e, como nunca vi barriga nenhuma e até imaginei que pudessem ser gazes, não a mandei passar. Já me tinha acontecido mandar passar uma senhora que tinha uma barriguinha de grávida (a sério, bonita até, redondinha) e, no entanto, não estava grávida! Não voltaria a arriscar...Quando chega à caixa falou-me muito chateada:

-"A senhora não viu que estou grávida?"

Desculpei-me a dizer que não tinha reparado. Sim, porque na realidade nunca vi barriga nenhuma. Aliás, a mulher era magrinha e sem barriga, pelo que seria impossível eu descobrir que estava grávida. Disse-me que não iria fazer queixa mas que era a última vez que ali lhe faziam isso... 

 

 

 

Minha gente, a malta não adivinha. A culpa não é das meninas da caixa!  Se virem que alguém está doente, é um idoso que está atrás de vocês ou que se encontra alguma grávida na fila, falem...A "menina da caixa" pode não conseguir ter visibilidade. 

59 comentários

Comentar post

Pág. 1/2